Artigos e Notícias - Dr. Marcelo Werneck

(31) 3568 5068 / (31) 99720 1872

Prevenção do câncer de intestino

O câncer de intestino grosso (câncer colorretal) geralmente não causa sintomas, e é o terceiro câncer que mais mata no Brasil, por isso é fundamental fazer prevenção. Quando ele causa sintomas, o mais comum é causar sangramento nas fezes, alteração do ritmo do intestino ou dor na barriga.

Se você tem mais de 50 anos, mesmo que não sinta nada, você deve fazer uma consulta preventiva com um coloproctologista.

Se você tem parentes de primeiro grau com câncer de intestino ou pólipos, já teve pólipos de intestino ou tem algum sintoma intestinal, você deve consultar com um coloproctologista independente da sua idade.

Quer saber mais?

O câncer colorretal abrange os cânceres de intestino grosso e do reto. Se detectado quando ainda é inicial, as chances de cura são de mais de 90%. 
A maioria deles surge a partir de pólipos de intestino. O câncer inicial, assim como os pólipos, não costuma causar sintomas, por isso é importante realizar a prevenção. 
A melhor forma de prevenção é levar uma vida saudável e realizar consultas e exames preventivos na época certa.

Todos devem realizar alguma forma de prevenção aos 50 anos de idade, mesmo que não sintam nada. As duas formas mais comuns de exames são:
- Pesquisa de sangue oculto nas fezes
- Colonoscopia.

Quem realiza a pesquisa de sangue oculto e tem o resultado positivo deve realizar a colonoscopia, quem tem o resultado negativo, deve repetí-lo anualmente. Um exame com resultado positivo NUNCA deve ser repetido, o certo é fazer a colonoscopia.

Outra opção é fazer direto a colonoscopia, a vantagem é que caso o exame seja normal, a pessoa pode ficar de 5 a 10 anos sem precisar repetí-lo, a não ser que apresente algum sintoma nesse período.

Como a maioria dos cânceres de intestino vêm dos pólipos, a colonoscopia oferece outra vantagem, que é a possibilidade de remover esse pólipos antes que eles progridam para câncer, evitando assim alguns cânceres.

Alguns fatores podem aumentar o risco de a pessoa apresentar câncer de intestino, sendo eles principalmente: história pessoal de pólipos de intestino, história pessoal de alguns outros tipos de câncer, história familiar de pólipos ou câncer de intestino, doenças inflamatórias intestinais (doença de Crohn ou retocolite ulcerativa). 
-Pessoas com esses fatores de risco devem consultar um coloproctologista para orientação sobre prevenção.

Além dessas pessoas, todos que apresentam sintomas de alteração do ritmo intestinal (diarreia ou constipação), dor abdominal e distensão, perda de peso sem estar fazendo dieta, sensação de que a evacuação não está sendo completa ou sangramento pelo ânus devem consultar (mesmo que acredite tratar-se de apenas hemorroidas).

 

Comentarios

Nenhum comentário.

Comente aqui